fbpx

Fim da guerra contra a nicotina

Reduzir o número de fumantes continua sendo uma prioridade de saúde pública para os governos de todo o mundo. No entanto, a guerra contra a nicotina impede mais progressos.

A má reputação da nicotina está atrapalhando o fornecimento aos fumantes de uma alternativa mais segura aos cigarros de tabaco tradicionais. Um novo papel, publicado pelo Consumer Choice Center, visa desmascarar os mitos associados à nicotina e fornecer mais clareza sobre o que a nicotina realmente é.

As taxas de tabagismo têm sido constantemente declinante mas não é graças às ferramentas aplicadas pelos governos, mas sim às alternativas inovadoras ao tabagismo, como cigarros eletrônicos, snus etc. Infelizmente, em vez de promover uma alternativa muito menos prejudicial e que dá às pessoas a chance de viver mais vidas mais longas, os funcionários públicos estão travando uma guerra contra a nicotina. Isso limita o acesso a essas alternativas que salvam vidas. 

Ao contrário da crença popular, os danos causados pelo fumo vêm de milhares de outras substâncias químicas na fumaça do tabaco, muitas das quais são tóxicas. E enquanto a nicotina é uma substância viciante, é relativamente inofensivo e não aumenta o risco de doenças graves (ataque cardíaco, derrame) ou mortalidade.

Ao contrário do vaping, as terapias convencionais de reposição de nicotina, como adesivos, sprays nasais e gomas, são endossadas por órgãos de saúde pública. Ir contra vape e snus só porque é uma forma diferente de consumir nicotina é inconsistente, para dizer o mínimo. Os NRTs funcionam para algumas pessoas, mas outros preferem vaping, e deve caber aos consumidores escolher sua ferramenta preferida de redução de danos. Em vez de limitar suas escolhas, devemos usar todas as ferramentas à nossa disposição para ajudar os fumantes a mudar.  

A nicotina foi demonizada por tanto tempo que os benefícios do consumo de nicotina para a saúde foram completamente ignorados. Pesquisas desde a década de 1960 demonstrou que os fumantes apresentam taxas mais baixas de doença de Parkinson e, recentemente, um estudar sugeriu que a razão para isso é a nicotina. Outro estudo sugere que a nicotina tem um efeito supressor do apetite e, portanto, atua como supressor de peso e pode ser usada para combater a obesidade Estudos também sugerem que a nicotina pode melhorar o exercício resistência e força. Isso explica por que muitos atletas profissionais usam nicotina para melhorar seu desempenho.

Percepções distorcidas sobre a nicotina impedem que mais fumantes mudem para formas menos prejudiciais de consumir nicotina. Muitos médicos acreditam erroneamente que a nicotina é a substância que causa câncer nos pacientes. Defensores da saúde pública e especialistas em saúde precisam ser educados sobre o assunto e encorajar os fumantes a mudar para alternativas, como vaping, que é 95% menos prejudicial do que os cigarros tradicionais.  

A proibição não funciona, como demonstrado pela era da proibição americana e vários outros exemplos. Em vez disso, empurra os consumidores para o mercado negro, onde o fornecimento de produtos de alta qualidade não é uma prioridade.

Produtos inovadores de nicotina têm o potencial de economizar milhões de vidas em todo o mundo, e não devemos permitir que equívocos atrapalhem a luta contra as doenças causadas pelo tabagismo.

Leia nosso novo artigo “Seis razões para parar a guerra à nicotina” para saber mais sobre o assunto

Compartilhar

Seguir:

Mais postagens

Assine a nossa newsletter

Role para cima