fbpx

Emirados Árabes Unidos classificados como a segunda nação mais resiliente globalmente para a resposta ao Covid-19

Os Emirados Árabes Unidos foram nomeados como o segundo país mais resiliente do mundo, depois de Israel, por sua resposta à pandemia de Covid-19, de acordo com o Índice de Resiliência Pandêmica 2021 See More que foi compilado pelo Consumer Choice Center (CCC), uma organização sem fins lucrativos que representa os direitos dos consumidores em mais de 100 países.

O relatório do CCC, usando dados disponíveis em 31 de março, teve como objetivo fornecer uma visão geral da preparação do sistema de saúde global para a crise do Covid-19.

Ele destacou os Emirados Árabes Unidos por ter um desempenho significativamente melhor do que os países da UE com o lançamento da vacinação, apesar de ter começado apenas 10 dias antes.

“Os Emirados Árabes Unidos são um país que conseguiu iniciar rapidamente seu programa de vacinação, que viu mais de 50% de sua população vacinada. Seus testes extensivos também estão no topo do ranking”, disseram os autores do relatório, Fred Roeder, diretor-gerente do CCC e gerente de pesquisa do CCC, Maria Chaplia.

Eles destacaram que a média de testes de Covid-19 nos Emirados Árabes Unidos, de 8,29 por 1.000 pessoas por dia, ficou em terceiro lugar, atrás de Chipre e Luxemburgo, e bem à frente de países como Alemanha, República Tcheca, Hungria, França e Itália.

“A pandemia colocou os sistemas de saúde globalmente em um teste de emergência e expôs seus lados fortes e fracos”, disse o relatório.

“Em particular, isso diz respeito à capacidade hospitalar, habilidades de planejamento e a existência de um sistema regulatório capaz de agir com rapidez e eficiência quando se trata de testes e vacinação.”

O relatório mediu 40 países em “aprovação da vacinação, sua motivação e atrasos que a frearam, capacidade de leitos de cuidados intensivos e testes em massa”.

Israel e os Emirados Árabes Unidos foram os únicos dois países a receber a classificação máxima, à frente dos EUA, Reino Unido e Alemanha, que foram classificados como “acima da média”.

O país com a pontuação mais baixa foi a Ucrânia, com a Nova Zelândia também nomeada na seção mais baixa.

“Os países que começaram a testar e vacinar o mais rápido possível, e que tinham capacidade suficiente, ou quase suficiente, de leitos de terapia intensiva, conseguiram conter melhor [o] coronavírus”, disse o relatório.

Publicado originalmente aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Role para cima